terça-feira, 22 de novembro de 2011

Vivendo Nossa História - Administradores de Jaru: Sandoval de Araújo Dantas



Sandoval de Araújo Dantas nasceu no dia 16 de setembro de 1926 em Santarém (PA), conforme confirma uma cópia do Documento de Identidade (RG) dele expedido em setembro de 1975 na Secretaria de Segurança Pública do antigo Território Federal de Rondônia. Filho do casal Aprígio Dantas e Augusta de Araújo Dantas, ainda criança ele passou a residir, juntamente com os pais, na região do ainda hoje distrito de Jaci-Paraná, nas proximidades do rio Madeira.

Sandoval viveu um bom período nas proximidades de Porto Velho. Aos vinte anos, o pioneiro muda-se para a região do Rio Machadinho e nesse local assume a gerência do Seringal São Gonçalo devido, principalmente, à visão administrativa que possuía. O primeiro casamento de Sandoval aconteceu em 1957 com Raimunda Ferreira do Nascimento com quem teve o primeiro filho, João Ferreira Dantas. Entretanto, ele acabou se separando da então esposa e por, aproximadamente 30 dias, ficou casado com Maria Guadalupe Alves. Contudo, Sandoval percebeu que o relacionamento não era o que ele realmente queria e voltou em poucos dias para Raimunda Nascimento.

As funções exercidas por Sandoval foram muito diversificadas. Ele atuou desde os seringais existentes na região até a função de guarda-livros, que equivale ao cargo de Contador nos tempos atuais, pois estava pronto para fazer o que fosse preciso. Em 1967, após o falecimento de Raimunda Nascimento, Sandoval casou-se com a então cunhada, Maria Luíza Ferreira do Nascimento. Dessa união, nasceram cinco filhos, totalizando seis herdeiros. Um deles mora no Amazonas e os demais optaram por fixar residência no município de Jaru.

O autor encontrou vários filhos de Sandoval. Todos eles são unânimes em destacar o espírito desbravador do pai, que muito contribuiu para a formação de Jaru. “Sandoval era instrumentista, um exímio tocador de violão e sanfona, além de ter uma visão aguçada para ações que exigiam criatividade, embora tivesse estudado apenas o que hoje é conhecido como Ensino Fundamental”, relata um dos filhos, Moisés Dantas. A chegada de Sandoval ao distrito de Jaru ocorreu em 1965 e, desde o início, sempre demonstrou otimismo, apesar das grandes dificuldades do lugar. As suas atividades prediletas eram ler e pescar. Em plena década de sessenta, Jaru era o local ideal para a segunda opção de lazer de Sandoval.

Sandoval de Araújo Dantas era conhecido pelos amigos como “Seu Sandu” e foi o primeiro – e por vários anos, o único – farmacêutico de Jaru. Exerceu com primazia esse ofício e criou dois hospitais no povoado: Hospital Santa Tereza e Santa Paula. Tempos depois, o Santa Paula passou a ser administrado por outras pessoas, até fechar as portas. Informações dão conta que “Seu Sandu” ajudou muita gente que habitava no distrito de Jaru, fato que o transformou em uma das pessoas mais queridas da época.

A administração de Sandoval foi relativamente curta. Ele esteve à frente do distrito jaruense pouco mais de um ano. Todavia, o trabalho desenvolvido no período teve grandes reflexos no crescimento do local. A nomeação de Sandoval foi feita pelo então prefeito de Ariquemes, Pedro Tavares Batalha em 1978. Em 20 de abril de 1979, a pedido, foi exonerado do cargo de administrador pelo novo prefeito de Ariquemes, Francisco Sales Duarte de Azevedo.

Fontes revelam que Sandoval teve motivos reais para pedir demissão do cargo. Seu estado de saúde não era dos melhores e ele preferiu se ausentar da função que exercera para receber os devidos tratamentos. Sandoval chegou a escrever de próprio punho o pedido, pois quando se ausentou já não conseguia realizar algumas funções vitais. O fato acontecera em virtude de um Acidente Vascular Cerebral (AVC) que ele teve em 1979. Em seguida, Sandoval contou com a generosidade dos filhos e amigos que lhe ajudam na locomoção. Além disso, ele perdeu parcialmente a memória e não reconhecia as principais pessoas que estavam ao seu redor. Os problemas de saúde fizeram com que Sandoval fosse transferido para Porto Velho, mas não houve nenhum tipo de melhoria significativa, talvez pela escassez de recursos do setor em Rondônia. Sandoval retornou para Jaru em 1983 e, gradativamente, foi recuperando a memória. Tempos depois, ele estava praticamente curado do mal que lhe afligira.

Familiares de Sandoval de Araújo Dantas declararam que ele faleceu em 23 de junho de 1986. O legado deixado por ele refletiu positivamente em diversos setores de Jaru. Uma das formas encontradas pelo município de homenageá-lo foi colocando o seu nome no único hospital público de Jaru: Unidade Mista de Saúde Sandoval de Araújo Dantas.
















Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
;