terça-feira, 22 de novembro de 2011

Vivendo Nossa História - Administradores de Jaru: Raimundo Nonato da Silva



Raimundo Nonato no lançamento do livro VIVENDO NOSSA HISTÓRIA
Raimundo Nonato da Silva nasceu em 31 de agosto de 1948 no município de Mossoró (RN). Filho do casal José Ventura da Silva e Rita Pereira da Silva, quando ele chegou a Jaru, o local era distrito do município de Ariquemes e as condições de vida existentes eram bastante precárias, se comparando com os dias atuais. Ele se casou no dia 29 de abril de 1978 com Maria do Socorro Borges da Silva. Dessa união nasceu uma filha e hoje Raimundo Nonato é avô de duas netas e as amas de todo o coração.
Raimundo Nonato quando era prefeito de Jaru
Prefeito de Jaru Raimndo Nonato ao lado do governador Jorge Teixeira

Raimundo Nonato da Silva foi o terceiro administrador do distrito de Jaru e primeiro prefeito do recém criado município. Ele administrou o povoado jaruense no período compreendido entre 16 de dezembro de 1980 a 04 de novembro de 1981. Raimundo Nonato foi nomeado como primeiro prefeito do município de Jaru pelo Decreto 056 de 05 de Novembro de 1981 e assumiu o cargo em 07 de novembro de 1981, data oficial da emancipação político-administrativa de Jaru. O mandato como prefeito de Jaru terminou no dia 31 de janeiro de 1983, quando foi empossado o primeiro prefeito eleito pelo voto popular, Leomar José Baratela.

A formação acadêmica de Raimundo Nonato da Silva é na área de Engenharia Agrônoma, curso feito na Escola Superior de Agricultura de Mossoró. Além disso, ele fez Pós-Graduação em Administração de Empresas Agrícola na Escola Superior de Agricultura de Lavras e Georreferenciamento de Imóveis Rurais na Faculdade de Engenharia e Agrimensura de Pirassununga. Atualmente, Raimundo Nonato é servidor da Fundação Nacional do Índio (Funai) e desempenha as suas funções em Porto Velho, Capital do Estado de Rondônia.

Ao assumir a administração do distrito de Jaru, Raimundo Nonato tinha como missão primordial implantar uma estrutura administrativa de serviços públicos essenciais à população jaruense. Um de suas primeiras atividades no início da década de oitenta foi promover a organização territorial e regularização fundiária no perímetro urbano do novo município. Em 1981, havia uma disparidade enorme entre as populações da zona urbana e a zona rural de Jaru. Conforme relatado pelo então prefeito, havia quatro mil pessoas na área urbana e quinze mil no meio rural.

Raimundo Nonato revela que a maior parte dos moradores era oriunda do Estado de Minas Gerais com 29,2% do total de pessoas que residiam em Jaru. Em segundo lugar apareciam os paranaenses com 15,0%. O restante da população era composto por paulistas (10,0%), capixabas (9,4%), cearenses (6,6%), baianos (5,6%), paraibanos (3,7%), catarinenses (3,7%), mato-grossenses (1,85%), amazonenses (1,8%) e maranhenses (0,9%). Outros povos deveriam existir, mas não foram contabilizados nos registros oficiais da época. Em junho de 1982, mesmo tendo poucos meses de emancipado, Jaru é contemplado com a instalação da primeira Comarca no município.











Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
;