sábado, 14 de abril de 2012

Vivendo Nossa História - Prefeitos de Jaru - Sidney Guerra

Sidney Rodrigues Guerra nasceu em 24 de julho de 1943 em Caculé no interior do Estado da Bahia. Filho de Silvino Rodrigues de Almeida e Sebastiana Guerra de Almeida, ele morou em Londrina (PR), antes de chegar ao então distrito de Jaru em março de 1979.

Familiares de Sidney Guerra falaram ao autor quem ele foi ao longo de sua vida. “Guerra foi um homem voltado para o povo. Antes de ser político, ele era comerciante no ramo de cereais e estava sempre pronto para ajudar o parceleiro (homem do campo) a vencer suas dificuldades. Como político, sempre procurou trazer benefício para a cidade de Jaru. Em uma palavra, ele era um homem bom”, relata o irmão Silviano Rodrigues Guerra.

Sidney Guerra casou-se pela primeira vez em 1968 e ficou viúvo quatro anos depois. Em 1974, Guerra contraiu matrimonio com Marilene Souza Guerra. Dessa união, nasceram quatro filhos, todos eles estão vivos e residem em Porto Velho. Guerra estudou apenas até a 3.ª Série do Ensino Fundamental, mas isso não o impediu de exercer com maestria o seu dom nato de ajudar as pessoas e se envolver de corpo e alma na política jaruense e do Estado de Rondônia.

Sidney Guerra apareceu no cenário político de Rondônia como candidato a prefeito de Jaru na primeira eleição que houve no município em 15 de novembro de 1982. Guerra concorreu com outros cinco candidatos, sendo dois deles do próprio partido: o PMDB. Na ocasião, obteve 3.230 votos (teoricamente seria o primeiro colocado), mas acabou ficando em terceiro lugar, pois por força de legenda, o candidato Leomar José Baratella foi declarado pela Justiça Eleitoral como eleito para o cargo. A soma de votos dos três candidatos a prefeito pelo PMDB foi de 4.700 votos, enquanto os dois postulantes ao cargo pelo PDS [Francisnaldo Bezerra e Leomar Baratella] obtiveram 5.085 votos, uma diferença de apenas 385 votos.

Sidney Guerra foi eleito como deputado estadual na eleição de 15 de novembro de 1986 com 5051 votos. Entre 1987-1988 foi Presidente da Assembleia Legislativa. Como deputado, foi decisivo na vinda de vários benefícios para Jaru, dentre eles, a ampliação da rede elétrica, algo tão necessário para acompanhar o crescimento do município. Em seguida Guerra foi escolhido pelo partido para ser candidato a prefeito de Jaru na segunda eleição municipal que houve na cidade em 15 de novembro de 1988. Na ocasião, Guerra concorreu com três candidatos: Severino Dias da Silva (PT), Francisnaldo Bezerra (PFL) e Wanderley Antônio Araújo, o doutor Wanderley (PL) e alcançou a expressiva quantidade de 8097 votos, uma diferença de 3.170 votos para o segundo colocado no pleito, o petista Severino Dias.

Quando Guerra assumiu o cargo de prefeito, o espaço territorial jaruense era bem mais extenso, tendo em vista que os municípios de Theobroma e Governador Jorge Teixeira ainda não haviam sido criados e os referidos locais dependiam administrativamente de Jaru.

Durante o período em que esteve à frente do Executivo Municipal, Sidney Guerra fez várias obras de interesse da população. Dentre elas estão a construção de duas creches, asfalto, legalização de áreas da Prefeitura, abertura de linhas vicinais e o primeiro concurso público da história de Jaru. O trabalho feito por Guerra não foi suficiente para mantê-lo no cargo até o fim de seu mandato. Em 28 de junho de 1991, o governador Osvaldo Piana Filho, mediante aprovação da Assembleia Legislativa, nomeou Luiz Antônio Campanari como interventor estadual pelo período de 240 dias (oito meses). O motivo alegado seria em virtude de supostas denúncias que teriam provocado uma imaginável crise na esfera municipal, mas conforme relatos do período, a população não aceitou de bom grado a atitude, considerando-a como um retrocesso ao processo democrático que há poucos anos havia sido conquistado depois um longo período de ditadura brasileira. Campanari atua na área de jornalismo da TV Rondônia (afiliada da Rede Globo no Estado) e, mesmo contactado persistentemente pela reportagem, mandou avisar que não iria falar sobre o período em que foi responsável por administrar Jaru.

Guerra não concordou com a atitude tomada pela Assembleia Legislativa em conjunto com o governador Osvaldo Piana e assim que soube da intervenção renunciou ao cargo de prefeito. Após terminar o período determinado pelo governo, o vice-prefeito eleito com Sidney Guerra, Wilson Cardoso, assumiu a prefeitura de Jaru e concluiu o mandato até 31 de dezembro de 1992, quando foi eleito para o cargo o dentista Ruy Luiz Zimmer (PT).

Sidney Guerra faleceu em 28 de outubro de 2003, vítima de infarto. Segundo o Presidente Municipal do PMDB, ex-prefeito de Jaru, José Amauri dos Santos, “Guerra foi um prefeito que soube administrar o município, mas foi vítima do mesmo grupo que ajudou a tirá-lo do cargo em que fora reeleito”, diz, referindo-se ao processo em que foi acusado [segundo ele, injustamente], de compra de votos na eleição municipal de 2004. 

2 comentários:

Anônimo disse...

Isto esta incompleto!

Elias Gonçalves disse...

Com certeza está incompleto. Seria impossível contar toda a história neste espaço, uma vez que muitas pessoas ouvidas se negaram a prestar qualquer informação relevante.

Postar um comentário

 
;